A função de conectores argumentativos no texto da proposta curricular de Minas Gerais

Gustavo Ximenes Cunha

Resumo


Este artigo propõe um estudo do texto da proposta curricular do Estado de Minas Gerais, verificando aspectos da relação instaurada entre a instância de produção da proposta – a Secretaria de Educação – e a instância de destinação dessa proposta – o professor de português da rede estadual de ensino. Centrando a atenção no emprego dos conectores, a análise realizada adota os pressupostos teóricos do Modelo de Análise Modular do Discurso, para investigar em que medida esse emprego é decorrente da maneira como a Secretaria de Educação “imagina” o professor ao qual se dirige. O que se constatou foi um predomínio dos conectores que marcam a relação genérica de argumento. Na proposta curricular, esses conectores são empregados com a função de direcionar a leitura do professor, explicitando que as informações por eles introduzidas são argumentos, justificativas, explicações ou exemplos, cujo papel é o de convencer esse professor de que novas concepções de língua e de linguagem devem guiar a sua prática em sala de aula.

Palavras-chave


Proposta curricular de Minas Gerais; Conectores; Argumentação; Modularidade;

Texto completo:

PDF