'Lá' pós-nominal na cartografia do DP: questões sobre especifidade e identificação

Bruna Karla Pereira

Resumo


Esse artigo trata de ocorrências de ‘lá’ pós-nominal em estruturas como “um colega meu lá” do português brasileiro e tem como objetivo propor uma análise formal da posição desse advérbio no domínio do DP. Para isso, pontuam-se as diferenças sintáticas e semânticas entre esse ‘lá’ não locativo e ‘lá’ pós-nominal locativo. Em seguida, pontuam-se as semelhanças entre ‘lá’ não locativo e estruturas nominais contendo: (i) ‘qualquer’ pós-nominal; (ii) ‘this’ na qualidade de marcador indefinido específico; e (iii) partículas usadas em diferentes línguas para sinalizar especificidade (LYONS, 1999), isto é, para se referir a uma entidade específica cuja identificação é irrelevante para o falante. A partir desse paralelo, assume-se, com base na teoria dos especificadores funcionais (CINQUE, 1999, 2005), que ‘lá’ ocupa a posição de especificador em uma projeção QP. Essa projeção, que contém traços formais de especificidade, localizar-se-ia imediatamente acima do NP e abaixo de modificadores na estrutura do DP.


Palavras-chave


‘Lá’ pós-nominal não locativo; Estrutura do DP; QP; Especificidade; Identificação;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-5794