A episteme de ponta-cabeça: os saberes subalternos e as novas perspectivas das Ciências Sociais

Abraão Pustrelo Damião

Resumo


Nosso trabalho busca demonstrar as dificuldades e resistências encontradas pelos estudos subalternos – estudos feministas, estudos queer e estudos pós-coloniais – para rompermos com as epistemologias hegemônicas das ciências sociais, sobretudo a sociológica eurocêntrica positivista. De início apontaremos os preceitos básicos que validaram e referenciaram a sociologia como uma área de saber genuinamente ímpar e de destaque dentro das universidades, desde o século XIX, bem como os pressupostos teóricos associados a sua legitimação. Num segundo momento, analisaremos o contexto para o surgimento e desenvolvimento das rupturas epistemológicas advindas do aparecimento dos saberes subalternos que estão diretamente ligados ao questionamento da modernidade enquanto um projeto de vida. Nosso objetivo é mostrar a problemática epistêmica que envolve o questionamento das correntes sociológicas clássicas e o que os estudos subalternos têm a nos dizer acerca das novas configurações da realidade social contemporânea. Basear-nos-emos em uma metodologia que aponta o conjunto de generalizações epistemológicas feitas pela sociologia, especialmente a positiva e escolas afins, e as rupturas epistêmicas advindas dos estudos subalternos.


Palavras-chave


Epistemologia; Sociologia Clássica; Modernidade, Estudos Feministas; Estudos Queer; Estudos Pós-Coloniais.

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.