A consagração na escrita da história: um olhar sociológico sobre a revista Joaquim

Natalia Romanovski

Resumo


Neste artigo, procuramos entender algumas questões analíticas implicadas no estudo de produções literárias e artísticas consagradas pela perspectiva das ciências sociais. Tomamos como estudo de caso a análise da revista Joaquim, editada em Curitiba entre 1946 e 1948 e consagrada como marco inicial do pensamento moderno na história intelectual do estado do Paraná. Primeiramente, a análise deve restituir esse objeto dentro das relações históricas que condicionaram sua existência. Para tanto, deve-se reconsiderar as categorias nativas que sustentam os discursos instituídos sobre o objeto e que fundamentam seu status de consagração. Ao mesmo tempo, é importante considerar as razões da consagração, que se baseia em um processo objetivo que acaba instituindo certas ênfases como legítimas na escrita da história. Finalmente, procuramos demonstrar na prática, as funções da natureza seletiva dos processos consagratórios.


Palavras-chave


História intelectual; Consagração; Revista Joaquim; Estudos paranaenses;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.