Da prosa à poesia: a polifonia bakhtiniana na lírica moderna de Carlos Drummond de Andrade

Carina Dartora Zonin, Márcia Ivana de Lima e Silva

Resumo


Com a vanguarda modernista, na contramão do pensamento tradicional, nasce um novo modo de concepção do literário. A poesia abre mão da apoteose egocêntrica e, roçando o prosaísmo do romance, revigora o pensamento revolucionário da polifonia bakhtiniana na formação de um novo gênero, então chamado, poesia polifônica. Tal é o itinerário que propomos investigar neste estudo. Para tanto, iniciaremos por uma releitura dos princípios da dialogia, da polifonia e dos gêneros discursivos à luz da revolução artística dos modernos, para, em seguida, prosseguirmos à escuta das vozes alheias, em poesias representativas do lirismo de participação, no Drummond d’A rosa do povo. E, assim, na forma em que se inscreve o eu, o outro, afinal, revela-se.

Palavras-chave


Dialogia; Polifona; Discurso poético; Drummond; Bakhtin;

Texto completo:

PDF


Indexada por: /Indexed by: 

Web of Science (Thomson Reuters)
Emerging Sources Citation Index (Thomson Reuters)
LLBA – Linguistic and Language Behavior Abstracts (Ulrichsweb: https://ulrichsweb.serialssolutions.com)
MLA – International Bibliography (Modern Language Associantion/ EBSCOhost, ProQuest)
OCLC – WorldCat - Clase and Periodica
Academic Search Alumni Edition (EBSCOhost)
Academic Seach Elite (EBSCOhost)
Fuente Academica Plus (EBSCOhost)
Dietrich’s Index Philosophicus (De Gruyter Saur)
IBZ – Internationale Bibliographie der Geistes und Sozialwissenschaftlichen Zeitschriftenliterature (De Gruyter Saur)
Internationale Bibliographie der Rezensionen Geistes und Sozialwissenschaftlicher Literatur (De Gruyter Saur)
GeoDados

ISSN: 0103-815x

Licença Creative Commons
ITINERÁRIOS - Revista de Literatura is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.