Avalovara de Osman Lins: a tecitura quadridimensional de um mundo

Fábio de Lima Amancio

Resumo


Este artigo tem como objetivo interpretar como se estrutura a espacialidade do mundo em Avalovara (1973), do escritor pernambucano Osman Lins. Para tanto, partimos dos conceitos de “mundo” e de “mundanidade” do pensador alemão Martin Heidegger, os quais são aprofundados pela discussão sobre as ideias de “heterotopia” e “similitude” de Foucault, de “mapa” de Deleuze e Guattari e da própria teoria literária de Lins. Sendo assim, interpretamos que a tecitura do mundo ficcional depende da articulação de quadros ou dimensões hermenêuticas: 1) facticidade percorrida pelo escritor; 2) interpretação desta facticidade por parte do escritor; 3) estrutura do texto narrativo, que exige conhecimento sobre a arte narrativa; e 4) interpretação destas três dimensões por parte do leitor.


Palavras-chave


Heidegger; Literatura; Mapa; Mundanidade;

Texto completo:

PDF


Indexada por: /Indexed by: 

Web of Science (Thomson Reuters)
Emerging Sources Citation Index (Thomson Reuters)
LLBA – Linguistic and Language Behavior Abstracts (Ulrichsweb: https://ulrichsweb.serialssolutions.com)
MLA – International Bibliography (Modern Language Associantion/ EBSCOhost, ProQuest)
OCLC – WorldCat - Clase and Periodica
Academic Search Alumni Edition (EBSCOhost)
Academic Seach Elite (EBSCOhost)
Fuente Academica Plus (EBSCOhost)
Dietrich’s Index Philosophicus (De Gruyter Saur)
IBZ – Internationale Bibliographie der Geistes und Sozialwissenschaftlichen Zeitschriftenliterature (De Gruyter Saur)
Internationale Bibliographie der Rezensionen Geistes und Sozialwissenschaftlicher Literatur (De Gruyter Saur)
GeoDados

ISSN: 0103-815x

Licença Creative Commons
ITINERÁRIOS - Revista de Literatura is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.