Revista de Letras

A Revista de Letras tem por objetivo estabelecer um fórum de discussão acerca da literatura, dando ênfase à crítica e à teoria literária em suas diversas abrangências teóricas e metodológicas. Áreas do saber diretamente relacionadas à teoria e crítica literária, tais como a sociologia, a filosofia, a psicanálise, também podem oferecer contribuições relevantes para os estudos literários e serão aceitos para publicação. Como um fórum de discussão sobre a literatura, a Revista de Letras não privilegia qualquer abordagem crítica ou teoria em específico, encorajando a diversidade de abordagens e enfoques teórico-metodológicos no trato com a literatura. O escopo da Revista de Letras é a literatura, considerada em si mesma ou em relação com outras áreas da cultura, como cinema, artes plásticas, música, arquitetura e mídia. Também serão aceitos artigos que tratem de quaisquer desses objetos culturais em si, desde que haja alguma pertinência aos estudos literários. As abordagens a estes objetos culturais deverão manter uma interface com a metodologia dos estudos literários, para que estes artigos possam ser analisados pelo corpo editorial a partir da perspectiva da literatura comparada.


Publicação semestral | ISSN publicação impressa: 0101-3505 | ISSN publicação eletrônica: 1981-7886

Acesse normas de publicação: Submissões Online

 

Chamada para Artigos

Possibilidades do Insólito na Ficção

Data limite para recebimento dos trabalhos: 29 de julho de 2016

As pesquisas, estudos e o interesse acadêmico nacional e internacional nas diversas manifestações do insólito na ficção – fantástico, gótico, fantasy, maravilhoso, realismo mágico, ficção científica, steampunk, cyberpunk, dentre diversas outras denominações, inclusive a do próprio insólito entendido como fazer ficcional em si mesmo – tem aumentado exponencialmente nos últimos anos, a ponto de algumas de suas vertentes já se constituírem atualmente como campos próprios e específicos de pesquisa, caso do fantástico e do gótico.

Com o intuito de melhor compreender esse fenômeno, este número da Revista de Letras pretende reunir artigos que contemplem, específica ou interativamente, uma ou várias das diversas possibilidades do insólito ficcional, seja na literatura, seja em artes afins (cinema, teatro, TV, graphic novel, música etc.), seja no discurso comparativo interartes.

 

Shakespeare: a (re)invenção do literário

Data limite para recebimento dos trabalhos: 29 de julho de 2016

Em 2016 comemora-se os 400 anos da morte de William Shakespeare, nome canônico da literatura ocidental. Certo é que há uma literatura antes e outra literatura depois do Bardo de Stratford, e nesses quatro séculos da presença de seu legado em meio ao público leitor – e aqui leitor deve ser entendido tanto como o público fruidor quanto como o público acadêmico especializado –, muito se disse, desdisse e redisse sobre sua obra. Também é certo que Shakespeare (re)inventou e continua (re)inventando o literário sob diversas perspectivas: atualmente, lê-se Shakespeare no livro impresso, nos quadrinhos, nos graphic novels, na internet; assiste-se Shakespeare no teatro, no cinema, na TV e no YouTube; ouve-se Shakespeare no mp3 e no audiobook; interage-se com Shakespeare em suas páginas pessoais (fictícias?) no Facebook; reescreve-se Shakespeare; e mesmo joga-se com Shakespeare no videogame e nos jogos online.

Este número da Revista de Letras pretende reunir artigos que contemplem, sob diversos ângulos interpretativos e posicionamentos teórico-críticos, os diversos modos pelos quais a obra de Shakespeare permanece viva e continuamente (re)inventando o literário seja na literatura e na teoria e crítica literárias, seja nas artes afins (teatro, cinema, TV, graphic novel, música etc.), seja no discurso comparativo literário e/ou interartes, seja na cultura.


v. 55, n. 1 (2015)


Capa da revista