Violência policial x profissionalização em São Paulo

Thaís Battibugli

Resumo


No Brasil, a discussão sobre a efetivação de políticas de segurança pública, em períodos de democracia política, teve como preocupação básica tornar o sistema policial compatível com as demandas e exigências do estado de direito, aumentar seu grau de profissionalização, tanto após a queda da ditadura Vargas em 1946, como no pós-regime militar em 1985. Em ambos os casos, essa compatibilidade não foi satisfatoriamente alcançada. Este artigo tem como objetivo desenvolver a idéia de que falhas no processo de profissionalização da polícia paulista geram, há décadas, autonomias facilitadoras de ilegalidades, como a violência e a corrupção policial. Do mesmo modo, serão abordados certos traços da cultura policial paulista que podem funcionar como obstáculos para reformas profissionalizantes no setor. Por fim, serão discutidas algumas medidas tomadas para o aumento da profissionalização da polícia paulista, no pós-1946 e no pós-1985.

Palavras-chave


Segurança pública; Violência policial; Profissionalização; Cultura policial;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-0241
ISSN: 0101-3459