O crescimento da agroindústria avícola e as alterações no trabalho familiar rural

Renan Araújo, Amanda Cristina Ribeiro

Resumo


Neste artigo discutiremos a relação entre o processo de acumulação flexível e a reconfiguração das formas de sociabilidade no campo, processo imanente ao crescimento da agroindústria e a correlata disseminação do trabalho flexível no segmento avícola, sobretudo, em regiões onde coexistem grandes, médias e pequenas propriedades, tal qual a região noroeste do Estado do Paraná. Analisaremos a expansão do capital reestruturado patenteado nos contratos de parcerias e suas implicações nas novas formas de subsunção do trabalhador rural ao segmento do capital agroexportador, dinâmica acentuada com a disseminação de construtos ideológicos contidos na tese do empreendedorismo. Trata-se de um processo social responsável não só pela reconfiguração da identidade do trabalhador rural, mas no enfraquecimento do trabalho associativo/comunitário na medida em que a lógica interativa intrínseca a atividade laboral familiar rural, dilacera-se em face das novas emulações sociais impulsionadas pela busca da produtividade em escala sempre ampliada. Da mesma forma, evidencia-se por meio deste trabalho, que a dinâmica de desenvolvimento do capital contemporâneo combina formas recentes e pretéritas de exploração do trabalho no campo, da afirmação/disseminação mesmo das formas flexíveis de produção.

Palavras-chave


Trabalho Flexível; Agroindústria Avícola; Trabalho Familiar Rural.

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-1736