O processo de mediação e a construção de identidades na agricultura ecológica

Valter Lucio Oliveira

Resumo


A partir de pesquisa empírica realizada junto a agricultores pertencentes a uma associação de agricultores ecologistas e mediadores sociais vinculados a uma ONG localizados no Rio Grande do Sul, este artigo analisa a relação estabelecida entre estes atores buscando compreender a construção das identidades sociais e o papel da mediação nesse processo. Percebeu-se que a influência dos mediadores sociais foi fundamental na construção da identidade do agricultor ecologista, e na definição dos princípios norteadores da Agricultura Ecológica, especialmente em sua origem, mas, na medida em que estes últimos foram incorporando os princípios definidores do “ser agricultor ecologista” e suas práticas subjacentes, estes passaram a disputar com os mediadores os seus contornos. Com relação aos mediadores a construção de sua identidade social tal processo se dá a partir da demarcação em relação aos mediadores vinculados a outras instituições que ocupam posição dominante no “campo da agricultura”.


Palavras-chave


Mediação; Identidade Social; Agricultura Ecológica; Relações de Poder;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-1736