Pela(s) via(s) da multiplicidade: desnaturalizando a noção de criminalidade e problematizando nossas práticas

Ilana Côrtes dos Santos, Poliana dos Santos Cordeiro

Resumo


Este artigo apresenta discussões sobre a criminalidade e suas relações com as práticas contemporâneas. Nesse sentido, pensar na criminalidade impele-nos, prioritariamente, a exercermos um pensamento a partir do qual movimentos de desnaturalização e de problematização possam ser feitos, viabilizando a produção de um deslocamento em relação aos discursos e olhares que, hegemonicamente, buscam enfatizar essa discussão apenas a partir de um viés moralizante, dicotômico, punitivo, a-histórico e sem qualquer potência política. Mostramos, então, um tipo de tessitura que faz com que os temas da criminalidade e da produção da periculosidade sejam pensados numa correlação intensa e pulsante entre a discussão sobre a manutenção de certas relações de poder, assim como entre alguns aspectos da produção de controle social no presente. Consideramos ainda as interferências que o campo dos Direitos Humanos pode trazer para essa discussão, afirmando os direitos humanos a partir de seu entrelaçamento com a ética e a multiplicidade.

Palavras-chave


Desnaturalização; Direitos Humanos; Periculosidade;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 2358-4238
ISSN: 2238-359X