O poder em Bourdieu e Foucault: considerações sobre o poder simbólico e o poder disciplinar

Tiago Barros Rosa

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar algumas das concepções acerca do poder presentes no pensamento de dois clássicos contemporâneos das Ciências Sociais: Pierre Bourdieu (1930-2002) e Michel Foucault (1926-1984). Mais especificamente, analisaremos os fundamentos das noções de poder simbólico e de poder disciplinar, desenvolvidos, respectivamente, em suas obras. A despeito das diferenças teóricas e metodológicas existentes entre os citados autores, intentamos aproximar as distintas noções de poder em seus projetos científicos e contrapô-las à corrente dominante atualmente, cujos pressupostos fundamentais alicerçam-se na teoria weberiana. A ideia de imposição da vontade, tal qual exposta na clássica formulação de poder por Weber, traz em si mesma, indelevelmente, a consciência, o cálculo e a intencionalidade por parte dos atores sociais. Em Foucault e Bourdieu, os indivíduos – sujeitos e agentes sociais - são condicionados e constrangidos por relações e forças exteriores, as quais, muitas vezes, sequer são conscientemente percebidas.

Palavras-chave


Sociologia contemporânea; Relações de poder; Poder simbólico; Poder disciplinar;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 2358-4238
ISSN: 2238-359X